ma di wo do vr za zo
1
 
2
 
3
 
4
 
5
 
6
 
7
 
8
 
9
 
10
 
11
 
12
 
13
 
14
 
15
 
16
 
17
 
18
 
19
 
20
 
21
 
22
 
23
 
24
 
25
 
26
 
27
 
28
 
29
 
30
 
 
 
 
 
 

A quem pertence a aids? 14 de dezembro de 2023, Kaaistudios

Artikel
27.10.23

Essa imagem de LSD vem do artigo “El sida desde el lesbianismo: Un nuevo apartheid sexual” que LSD escreveu na edição 666 do fanzine De un plumazo, publicado por La Radical Gai em Madri em 1993.

A quem pertence a aids? pergunta quem está falando sobre a aids, quem está ouvindo e quem está acolhendo a conversa. Em outras palavras, quem são “os donos” da aids? Fazemos essas perguntas em dois atos.

 

Das 17h30 às 19h30:

Insistência e consistência: lésbicas e aids é uma apresentação dupla de Fefa Vila e Talya. Fefa falará sobre suas experiências junto ao LSD e La Radical Gai, dois coletivos ativistas lésbicos e queer contra a aids que também publicavam fanzines transbichasapatão em Madri nos anos 90. Talya falará sobre sua soroconversão e transição de gênero por meio de suas experiências como lésbica trans radical em Paris e arredores. No mesmo espaço, serão exibidas duas pinturas de Marnie Slater, que interpretam partes da decoração do Le Madame, um bar lésbico que funcionou em Bruxelas entre 81 e 83. A entrada para esse programa duplo de apresentações é reservada para lésbicas afetadas direta ou indiretamente pela aids e pelo HIV.

Você pode reservar seu ingresso gratuito para Insistência e consistência: Lésbicas e a aids, se você se identificar como uma lésbica afetada direta ou indiretamente pela aids e pelo HIV, enviando um e-mail para viralmail@proton.me. Basta enviar qualquer palavra ou número para que possamos fazer sua reserva. A equipe de “Assembléias na Bélgica sobre aids, arquivos e artes” incluirá na lista de participantes, que administrarão no dia do evento. Toda a correspondência sobre essas reservas será excluída em 17 de dezembro. Se preferir, você também pode vir no dia 14 de dezembro, a partir das 17h, e retirar um dos ingressos não reservados na bilheteria. Manteremos pelo menos 10 ingressos para retirada sem reserva na bilheteria.

Todos os ingressos para Insistência e consistência: lésbicas e aids, são reservados para lésbicas afetadas direta ou indiretamente pela aids e pelo HIV. Os assentos são limitados a 100 pessoas.

As apresentações serão em francês, inglês e espanhol. As traduções serão organizadas entre participantes.

Haverá comida e bebida vegana entre os dois eventos.

 

Das 20h30 às 22h:

Durante o Precisamos conversar, será gravada uma conversa sobre aids e o descanso entre Emmanuel Cortés, Héloïse, nixie e Raphaël Kalengayi Junior, juntamente com um pequeno público. A gravação serve como o lançamento de uma publicação de sofá, que esperamos  inspirar mais conversas sobre a aids e o descanso porque, sério, precisamos conversar. A gravação será transmitida nas ondas do ar de uma estação de rádio local em 2024.

60% dos ingressos para Precisamos conversar são reservados para pessoas vivendo com HIV, lésbicas, pessoas trans e pessoas racializadas direta ou indiretamente afetadas pela aids e pelo HIV. Os assentos são limitados a 50 pessoas.

Se você se identifica como soropositiva e/ou lésbica e/ou pessoa trans e/ou pessoa racializadas direta ou indiretamente afetadas pela aids e pelo HIV, você pode reservar seu ingresso gratuito para o Precisamos conversar enviando um e-mail para viralmail@proton.me. Basta enviar qualquer palavra ou número para que possamos fazer sua reserva. A equipe de “Assembléias na Bélgica sobre aids, arquivos e artes” incluirá na lista de participantes, no dia do evento. Toda a correspondência sobre essas reservas será excluída em 17 de dezembro.

Qualquer outra pessoa pode reservar seu ingresso gratuito para o Precisamos conversar enviando um e-mail para tickets@kaaitheater.be.

A conversa será em inglês. As traduções serão organizadas entre participantes.

 

 

Um comitê responsável por essa apresentação pública foi encarregado de desenvolver o programa A quem pertence a aids?, que serve como uma ferramenta para atender a alguns dos nossos desejos para as próximas assembleias, que foram declarados em nossa primeira assembleia, realizada no BUDA Kunstencentrum no verão passado: o desejo de participar de comunidades de lésbicas direta ou indiretamente afetadas pela aids e pelo HIV e o desejo de descansar.

Nós somos um grupo de pessoas que colaboram durante todo o ano de 2023 sob o nome “Assembleias na Bélgica sobre aids, arquivos e artes” e que se perguntam: “Quem nos ouve, quem está ausente e a quem pertence a aids?” Nosso projeto consiste em sediar, em 2023, 24 e 25, três assembleias sobre intimidade e autogestão entre pessoas afetadas de forma diferente, direta ou indiretamente, pela aids e pelo HIV. Escolhemos a assembleia como uma obra de arte que contém seu próprio público, na qual compartilhamos conhecimento intercomunitário e a partir da qual nosso projeto é autogovernado. Nos últimos meses, também organizamos outros eventos com públicos diferentes: residências e workshops no Le Delta, erg: école de recherche graphique e Sint Lucas Antwerpen. Além de um festival de arte intimista feito por e para pessoas direta ou indiretamente afetadas pela aids e pelo HIV, que realizamos no La Bellone e que intitulamos aids, who?

Azahara Ubera Biedma, Castillo, Emmanuel Cortés, Fefa Vila, Héloïse, Joëlle Bacchetta, Marco Labellarte, Marnie Slater, Matteo Sedda, nino_uncut, nixie, Oscar Mathieu le Bussy, Raphaël Kalengayi Junior, Talya, Turi Cantero e outros que colaboraram em “Assembléias na Bélgica sobre a aids, arquivos e artes” em 2023.

Nosso objetivo é criar procedimentos que sirvam para a realização de projetos sobre aids, arquivos e artes, por e para pessoas direta ou indiretamente afetadas pela aids e pelo HIV. Ao dirigir esse projeto, somos guiados por nossas agendas de saúde comunitária transbichasapatão e cuir, HIV positivo, feminista, antirracista, materialista e interseccional. Co-produzimos esse projeto com La Bellone, BUDA Kunstencentrum, Le Delta, erg: école de recherche graphique, Kaaitheater e Sint Lucas Antwerpen, todas organizações artísticas da Bélgica.